Cirurgia Plástica

Rinoplastia - Cirurgia do Nariz

Rinoplastia é uma das mais antigas e tradicionais cirurgias no âmbito da cirurgia plástica, pois os cirurgiões indianos já a praticavam há dois mil anos. É um tipo de cirurgia muito notada por seus resultados, devido ao fato de modificar sensivelmente a face do(a) paciente.

Não é possível prever, com absoluta exatidão, e nos mínimos detalhes, o formato final de um nariz após uma Rinoplastia. Mesmo tendo-se objetivos a atingir, não é possível prever o quanto destes objetivos serão alcançados. E isto se deve ao fato de que cada paciente tem características que lhe são próprias, tais como a espessura da pele e das cartilagens do nariz, elementos que podem interferir no resultado final.

Também, há que se levar em conta que a reação local, após a retirada e o manuseio das estruturas do nariz, será igualmente variável de pessoa a pessoa.

Exemplificando: um (a) paciente com pele espessa na ponta nasal, após a retirada e modelagem da cartilagem local, terá uma ponta mais fina, mas não tão fina quanto a de um paciente com pele menos espessa.

Do que é possível concluir que a natureza de cada caso impõe limitações que lhe são próprias e imprevisíveis. Por tal razão, a tentativa de prever uma imagem do(a) paciente em computador, será apenas uma idealização e, portanto, pode ficar bem longe da realidade.

Informações Específicas

  1. Tipo de anestesia: pode ser usada tanto a anestesia local quanto a geral, ou ainda, a associada. Há possibilidade de que a escolha seja feita pelo(a) paciente, todavia com prévia ponderação de sua conveniência com o(a) cirurgião(ã).
  2. Tempo de duração do ato cirúrgico: em média 90 minutos, podendo ser mais prolongado, de acordo com a necessidade do caso.
  3. Período de internação: meio período para as cirurgias realizadas sob anestesia local; 24 horas, quando utilizada anestesia geral; 12 a 24 horas, quando a anestesia for associada. Mas a determinação deste tempo pode ser variável e fica na dependência de cada caso.
  4. Escolha de um nariz novo: a possibilidade de escolha do paciente por um novo nariz vai até um certo limite, que é determinado pelo equilíbrio estético que deverá haver entre o nariz e a face do(a) paciente, o que será fruto de detalhado estudo do cirurgião sobre seu(sua) paciente.
  5. Evolução pós-operatória: até que se atinja o resultado desejado, diversas fases evolutivas ocorrerão e são características desse tipo de cirurgia. Tais reações são variáveis de pessoa para pessoa, contudo é importante proporcionar o necessário tempo ao organismo para que ele “administre” esta nova situação.
  6. Dor: geralmente este tipo de cirurgia não apresenta dor no pós-operatório. O que incomoda é o desconforto causado, principalmente, pelo tampão nasal, quando este é empregado.
  7. Náusea: poderá ocorrer nas primeiras horas após a anestesia.
  8. Tamponamento nasal: não é usado de rotina, só é empregado quando é realizada a septoplastia (correção de septo). Neste caso, é retirado o tampão, geralmente, após 24 horas.
  9. “Placa ou Gesso”: você usará sobre o nariz apenas um pequeno curativo plástico americano.  ENTRE 7 A 10 DIAS
  10. Edema (inchaço): é comum ao redor dos olhos, sendo mais intenso pela manhã, podendo até dificultar a abertura completa dos olhos por 1 ou 2 dias.
  11. Equimoses (manchas roxas): ocorrem em alguns casos, especialmente ao redor dos olhos. Podem levar de 15 a 30 dias para desaparecer. Após a retirada do “gesso” já pode ser usado corretivo facial, possibilitando um melhor convívio social.
  12. Sangramento: pequeno sangramento no curativo (“bigode”) ou pelas laterais do gesso, próximo ao canto dos olhos, é considerado normal. Se ficar mais intenso ou não cessar com o repouso, avisar imediatamente seu médico.
  13. Curativo: trocar somente o curativo “bigode” quando ele estiver muito úmido. Se preferir pode ficar sem o curativo, mas lembre-se de não assoar o nariz.
  14. Repouso: não fazer repouso adicional, pois pode favorecer o aumento do edema. Usar dois travesseiros ao dormir, por uma semana, mantendo sempre a face voltada para cima (nunca lateralmente).
  15. A respiração após a cirurgia: pode se apresentar melhor em uma das narinas, e no período inicial pode estar dificultada pelo inchaço (edema) interno e a lenta recuperação dos tecidos operados.
  16. Rinite alérgica: quando preexistente à cirurgia, poderá reaparecer após a rinopastia, demandando continuidade no seu tratamento clínico da rinite.
  17. Desvio de septo: quando houver desvio de septo, a sua correção poderá ser feita concomitantemente à Rinoplastia, por cirurgião especialista da área, ou feita anteriormente à Rinoplastia.

CUIDADOS NO PÓS-OPERATORIO

  • Evitar sol, vento ou friagem nos três primeiros dias.
  • Tomar cuidado especial com o “gesso” para não traumatizá-lo, não umedecê-lo e jamais retirá-lo. Só o(a) cirurgião(ã) poderá fazer esta remoção.
  • Usar compressas com soro fisiológico gelado sobre os olhos nas primeiras 05 horas e, depois, 30 minutos a cada 2 horas, por três dias.
  • Procure não abaixar a cabeça e não faça esforço físico.
  • Pode pingar soro fisiológico (opcional), à vontade, no nariz para facilitar a respiração. o Permanecer no domicílio, sem sair, até o 2o dia de pós-operatório.
  • Massagem tipo drenagem, após a retirada do gesso, sob a orientação do seu médico é indicada.
  • Retornar ao trabalho só após a retirada do gesso (aproximadamente 8 dias).
  • Caminhadas esportivas após 15 dias, evitando tomar sol.
  • Dirigir, geralmente, após o 5o dia de pós, se as condições visuais permitirem.
  • Uso de óculos, após 30 dias, ou antes, se liberado por seu médico.
  • Esportes após 45 dias.
  • Sol intenso após 45 dias, usando boné e protetor solar indicado por seu médico.
  • Após a retirada do gesso é livre o uso de maquiagem leve e o corretivo.
  • Caso você tenha animal de estimação em casa (cão ou gato), evite contato direto com eles nos primeiros 20 dias de pós-operatório e, em hipótese alguma, os deixe subir em seu leito. O contato com qualquer tipo de secreção (especialmente a saliva de cães e gatos) pode elevar o risco de contrair uma infecção com consequências potencialmente sérias.
  • Obedecer rigorosamente à prescrição médica.
  • Voltar ao consultório para curativos e controle do pós-operatório nos dias e horários marcados.
  • Consultar este folheto informativo tantas vezes quantas se fizerem necessárias para esclarecer e eliminar perfeitamente suas dúvidas. Restando algum questionamento, contatar com seu(sua) cirurgião(ã).

RISCOS

Além dos riscos gerais, inerentes a toda e qualquer cirurgia, a Rinoplastia pode apresentar os seguintes riscos: sangramento nasal, cicatrizes aparentes, rinite alérgica, respiração nasal insatisfatória, necrose de pele ou de mucosa, forma insatisfatória do nariz. O seu médico está à sua disposição para esclarecer cada um desses riscos, e o que poderá ser feito, em caso de sua eventual ocorrência.

Deseja realizar esse procedimento? Agende Consulta

Agende sua
Consulta

Preencha o formulário ao lado que entraremos em contato para finalizar o agenamento.

*O preenchimento da data e horário desejada não garante a disponibilidade do médico