Odontologia

O que você precisa saber sobre tratamento ortodôntico?

Estas informações visam esclarecer alguns aspectos do tratamento Ortodôntico. Caso haja dúvidas sobre algum dos itens abaixo, estas podem ser esclarecidas com o dentista que o está atendendo.

O bom resultado de um tratamento Ortodôntico esta vinculado à capacidade do profissional que o executa, mas depende em muito de um paciente cooperativo. Parte desta cooperação deve ser resultado do conhecimento deste tratamento, suas regras, riscos e benefícios.

O tratamento e suas alternativas

O tratamento Ortodôntico é executado de acordo com um planejamento baseado em informações clínicas (como o exame da cavidade bucal e análise facial) e de outras advindas de documentação radiográfica, modelos dos arcos dentários e fotografias. A decisão do que fazer, será tomada com base científica e as alternativas de tratamento mais comuns são:

  • Tratamento com aparelho fixo, removível ou associados;
  • Tratamento ortopédico mecânico ou funcional;
  • Tratamento com extração ou sem extração;
  • Em casos de discrepâncias esqueletais, tratar compensando com movimentos dentários ou utilizar os recursos de cirurgia ortognática.
  • Na falta ou perda de elementos dentários, conservar espaços para prótese ou implantes, ou fechar os espaços colocando dentes em posições atípicas;

As informações sobre o diagnóstico, plano de tratamento e aparelhos adotados são individuais para cada caso e serão detalhadamente explicadas pela Dra Lívia, sob um termo escrito que deverá ser assinado e arquivado após a completa compreensão do paciente ou responsável pelo caso em questão. 

Benefícios

O objetivo do tratamento é colocar os dentes em suas corretas posições, melhorando a distribuição de forças durante a mastigação. Isto protege as raízes dos dentes, o osso de suporte, o tecido gengival e a articulação temporomandibular (ATM). O correto alinhamento dos dentes ajuda na manutenção de uma boa higiene bucal e consequentemente a diminuição do risco de cárie e de doença periodontal. Além disso, o sorriso vai ficar mais agradável e harmonioso, com os dentes alinhados, o que, esteticamente, é bastante significativo.

A intensidade destas melhoras vai depender das condições iniciais de cada caso e muito da resposta individual ao tratamento Ortodôntico, assim como o cuidado do paciente com toda aparatologia em questão. A resposta para o tempo de tratamento é desconhecida e dependente das condições biológicas, do envolvimento e participação do paciente no processo. Porém, um prognóstico é possível e vai ser fornecido sem o compromisso de ser exato, característica de toda atividade na área de saúde. Ocorrências importantes e não esperadas durante o tratamento serão sempre comunicadas ao paciente.

Problemas

As atividades na área de saúde, envolvendo a ortodontia, têm riscos e limitações. Embora sejam exceções na prática clínica, é importante que você conheça problemas potenciais:

  • Tempo de tratamento: a previsão do tempo de tratamento não é exata, mas uma estimativa será fornecida. Crescimento craniofacial inadequado, diversidade nas respostas biológicas, faltas frequentes, quebra do aparelho e falta cooperação com aparelhos removíveis e/ou ortopédicos, podem alongar o tempo de tratamento e impedir a obtenção de um bom resultado final;
  • Descalcificação: principalmente com o uso de aparelhos fixos, a escovação deficiente e uma alimentação inadequada, muito rica de açúcar, poderá marcar o dente definitivamente com as manchas brancas. Este problema pode ser agravado levando ao aparecimento de cavitações nos dentes (cáries dentárias). Para evitar este tipo de problema o paciente deve manter uma frequência baixa de ingestão de açúcar, promover higiene satisfatória e deve realizar profilaxias com seu dentista normalmente, a cada 3 meses, o qual será responsável pela prevenção à cáries e pela execução de restaurações.
  • Gengivite e doença periodontal: se o uso do fio dental não for adequado, e a escovação dos dentes não for bem feita pode ocorrer inflamação na gengiva, aumento do volume da mesma e, em casos extremos, chegar à perda do tecido ósseo. Obediência aos princípios de higiene que serão fornecidos e a manutenção das visitas semestrais ao dentista, são procedimentos indispensáveis para controle destes problemas;
  • Reabsorção radicular: é muito comum o arredondamento do ápice radicular (perda da ponta da raiz) em consequência da movimentação do dente através do osso. Isto é considerado normal e não traz nenhum problema para o paciente. Alguns pacientes tem tendência a ter uma reabsorção mais acentuada da raiz, nestes casos serão necessários cuidados especiais e em casos extremos interrupção do tratamento ortodôntico.
  • Recessão gengival: alguns tipos de movimentação ortodôntica predispõem a reabsorção da crista óssea marginal que pode levar a uma recessão gengival e a exibir uma parte da raiz do dente ao meio bucal. Isto pode acontecer principalmente em pacientes que já apresentam recessão gengival no início do tratamento.
  • Recidiva: é o nome dado à tendência do dente movimentado voltar à sua posição de origem. Isto geralmente é moderado e pode ser parcialmente controlado pelos aparelhos de contenção, com exceção da região dos caninos e incisivos inferiores. Com o tempo, após o término do tratamento, provavelmente ocorrerão alterações nas posições dos dentes por  fatores fora do controle do ortodontista, como: alterações introduzidas por crescimento ou resultado da maturação e envelhecimento da face (turnover ósseo), alterações funcionais como respiração bucal, hábitos bucais e hipoteticamente até a erupção dos terceiros molares (dentes do siso);
  • Alterações  na ATM (articulação temporomandibular): Algumas pessoas têm propensão a desenvolver problemas na articulação temporomandibular. Ruídos, dores localizadas ou difusas na cabeça ou no ouvido podem aparecer. Estes problemas podem estar relacionados ou não ao tratamento ortodôntico. Mantenha seu ortodontista prontamente informado se estas alterações acontecerem.
  • Irritação: alguns aparelhos, como os braquetes ou a parte interna do arco extra bucal (AEB), podem causar irritação (­­­­vermelhidão ou inchaço) e, lesar a mucosa ou as bochechas (causar feridas). Isto tem regressão simples, não é problema, depois da adaptação inicial que dura em torno de dois ou três dias; nos casos de aparelhos ortopédicos mecânicos (encapsulados), após a remoção dos mesmos é notado uma irritação na gengiva que é esperada e completamente reversível.
  • Acidentes com o aparelho: é necessário atenção ao manipular os aparelhos extra bucais. No momento de sua colocação ou retirada tenha cuidado. Apesar de seu desenho, que busca minimizar a ocorrência de acidentes, a remoção, colocação ou uso do aparelho de forma indevida pode machucar sua mucosa, bochechas, face ou principalmente os olhos. Não use o aparelho quando estiver participando de atividade esportivas ou outras que possam criar contato íntimo com pessoas. Caso o aparelho seja fixo, é recomendado o uso de protetor bucal.
  • Problemas gerais de saúde
    • a) algumas doenças como o diabetes, disfunções renais e hormonais, podem ter influência sobre os efeitos do aparelho nas reações provocadas nos dentes e nos tecidos de suporte. O mesmo ocorre com medicamentos, inclusive as pílulas anticoncepcionais. Mantenha seu ortodontista sempre informado sobre seu estado de saúde e medicamentos em uso;
    • b) a desinfecção química e esterilização dos instrumentais, utilização de produtos descartáveis como sugadores e cuidados com a lavagem adequada das mãos são procedimentos suficientes para mútua proteção, evitando contaminação. Porém, em caso de doenças infecto-contagiosas, informe o profissional para que providências como atendimento isolado ou mudanças no esquema rotineiro de atendimento, possam ser tomadas para sua proteção, do profissional e dos outros pacientes.

Sobre o Atendimento:

O paciente será atendido com hora marcada ou, eventualmente, quando houver problemas com o aparelho ou dúvidas, em atendimentos extras marcados com a brevidade possível. O horário da consulta poderá ser alterado pelo paciente, porém, com a maior antecedência possível.

Em caso de quaisquer dúvidas ou maiores esclarecimentos, agende uma consulta pelo telefone 34427562 (Lótus Clínica) ou 991767174 (wpp), será um prazer esclarecer suas dúvidas.

Dra Lívia Oliveira
Mestre e Especialista em Ortodontia;
Ortopedia Funcional dos Maxilares (OFM).

Deseja realizar esse procedimento? Agende Consulta

Agende sua
Consulta

Preencha o formulário ao lado que entraremos em contato para finalizar o agenamento.

*O preenchimento da data e horário desejada não garante a disponibilidade do médico